CLIPPING

Ministro da Educação volta atrás e defende fim dos cursos de licenciatura 100% EAD05/12/2023
Veículo: Roraima na Rede

Jornalista: Luiz Valério (Carta Capital, com Redação do Roraima na Rede)

Colaboração ABED: Nota de Contestação

Publicado originalmente em:
https://www.roraimanarede.com.br/noticia/97969/ministro-da-educacao-volta-atras-e-defende-fim-dos-cursos-de-licenciatura-100-ead​

Versão em PDF: 
https://abed.org.br/arquivos/Ministro_da_Educacao_volta_atras_e_defende_fim_dos_cursos_EAD.pdf​

Data da veiculação: 05/12/2023

Ministro da Educação volta atrás e defende fim dos cursos de licenciatura 100% EAD

O ministro da Educação, Camilo Santana (PT), voltou atrás em sua posição sobre a formação de professores. Em 2020, Santana defendia a expansão da modalidade a distância na formação de professores. No entanto, em entrevista à CartaCapital nesta terça-feira (5), o ministro afirmou que defende o fim dos cursos de licenciatura ministrados 100% na modalidade a distância.

Santana argumentou que a formação de professores é uma atividade complexa que exige interação presencial entre alunos e professores. "A formação de professores é uma atividade que exige uma relação muito próxima entre alunos e professores. É preciso discutir, dialogar, trocar experiências. Isso é muito difícil de fazer na modalidade a distância", disse Santana.

O ministro ainda ressaltou que a formação de professores deve ser feita de forma presencial para garantir a qualidade da educação no Brasil. "A formação de professores é fundamental para a qualidade da educação. Se nós não formarmos professores de qualidade, nós não vamos ter uma educação de qualidade", afirmou Santana.

A mudança de posição do ministro da Educação foi recebida com apoio por entidades que defendem a qualidade da educação no Brasil. A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), por exemplo, afirmou que a formação presencial de professores é "fundamental para a qualidade da educação". "A Undime defende a formação presencial de professores, pois é a modalidade que garante a qualidade da formação e o desenvolvimento das competências necessárias para o exercício da profissão", disse a entidade em nota.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) também apoiou a declaração do ministro. A entidade afirmou que a formação presencial de professores é "a melhor forma de garantir a qualidade da educação".

"A CNTE defende a formação presencial de professores, pois é a modalidade que garante a qualidade da formação e o desenvolvimento das competências necessárias para o exercício da profissão", disse a entidade em nota.

Por outro lado, a Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed) manifestou preocupação com a declaração do ministro. A entidade afirmou que a modalidade a distância pode ser uma alternativa para a formação de professores em regiões remotas ou com escassez de oferta de cursos presenciais.
"A Abed acredita que a educação a distância pode ser uma alternativa para a formação de professores em regiões remotas ou com escassez de oferta de cursos presenciais", disse a entidade em nota.

Ainda não há uma data para o fim dos cursos de licenciatura 100% EAD. O governo federal estuda uma forma de regulamentar a modalidade de forma que ela atenda às necessidades da formação de professores.

(continua...)

Acesse na íntegra em: 
https://www.roraimanarede.com.br/noticia/97969/ministro-da-educacao-volta-atras-e-defende-fim-dos-cursos-de-licenciatura-100-ead
ou
https://abed.org.br/arquivos/Ministro_da_Educacao_volta_atras_e_defende_fim_dos_cursos_EAD.pdf

 
Compartilhar:
Copyright - Associação Brasileira de Educação a Distância - ABED