Já temos mais de três milhões de brasileiros fazendo uso da educação a distância hoje, recebendo conhecimentos e experiências educativas novos através das mais variadas tecnologias e em todos os níveis de aprendizagem. Mas isso ainda é pouco num país de quase duzentos milhões de pessoas encaixadas numa “sociedade de conhecimento”, dentro da qual estão todos aqueles que, desejando participar ativamente da economia têm de atualizar seus conhecimentos profissionais e pessoais. Um olhar crítico da prática de EAD diria que tudo que está acontecendo na área no momento é apenas uma replica do que se faz no ensino presencial, apenas com um sistema de “entrega”, ou de atendimento diferenciado ao aprendiz. É possível afirmar que ainda não vimos no Brasil o que é conhecido na comunidade de informática e na internet como um “killer application” (um dispositivo ou característica tão bem bolada que essencialmente “mata” todos os concorrentes).

Está na hora de sair das mesmices, do corriqueiro, do conhecido, e explorar novos domínios de conhecimento ainda não explorados através de EAD, de descobrir nichos de público necessitando dos benefícios que sabemos que a EAD traz mas que ninguém até agora pensou em focalizar e realizar. Seja universidade, ONG, empresa, sindicato, entidade cultural ou educacional multifacetada – todos têm agora a oportunidade de estabelecer uma reputação como “pioneira”, aventurando-se em “mares nunca antes navegados”. Há riscos, sem dúvida. Mas a boa pesquisa da possibilidade de um mercado viável para um novo serviço educacional através de EAD, o bom planejamento do negócio, a formação de uma equipe não apenas adequada, mas um verdadeiro “dream team” (time dos sonhos), e o bom apoio ao aluno antes, durante e depois do curso, garantirão o sucesso do empreendimento.

O “13º Congresso Internacional da ABED” procurará estimular novas idéias em torno da questão de como sair da rotina – como descobrir aplicações de EAD realmente inovadoras. Procuramos trabalhos científicos, relatos de experiências, bate-bolas e outras formas de troca de conhecimentos e experiências que promovam o avanço de nosso campo de trabalho e estudo.

Fredric Michael Litto
Presidente